Blackburn Beverley


O Blackburn Beverley B-101 era um avião de transporte pesado britânico dos anos 50 e construído pela Blackburn and General Aircraft e voado por esquadrões da Royal Air Force Transport Command a partir de 1957 até 1967.
Design e Desenvolvimento
Projetado e construído pela General Aircraft como cargueiro universal GAL.60. o primeiro avião foi desmontado na fábrica de Feltham, e transportado para Brough em Yorkshire e teve seu vôo inaugural em 20 de Junho de 1950. Este foi seguido pelo segundo, o GL.65, que foi modificado do original. As portas da parte superior substituíram uma combinação de uma porta e rampa, o aumento do leme horizontal e recebeu assento para 36 passageiros. Os motores Bristol Hercules transformaram-se em Bristol Centaurus com hélices de passo reverso, uma característica que lhe deu uma aterragem mais curta.
O avião é asa alta e equipado com 2 lemes horizontais na cauda e também com uma porta para permitir acesso à parte traseira da fuselagem. O compartimento de carga podia acomodar 94 soldados.
O avião foi projetado para transportar cargas de grande volume e desembarcar em pistas não asfaltadas. Quando ele entrou em serviço era o maior avião da Força Aérea Real (RAF). Ele tinha uma área de carga interior dividida em dois níveis o que elevava a cerca de 170m³ do espaço.
O Beverley foi equipado com banheiros, que estavam situados na cauda além das portas de pára-quedistas. Uma fatalidade foi causada por um funcionário que caiu seis metros para o chão ao sair do banheiro, sem saber que as portas dos pára-quedistas tinham sido abertas. Modificações foram feitas para evitar que as portas dos banheiros fossem abertas quando as portas de pára-quedistas estivessem abertas.
No total 49 aeronaves foram produzidas, com o últimos ser fabricado em 1958, e a aposentadoria definitiva no serviço da RAF aconteceu em 1967.
História Operacional
A primeira aeronave de produção de uma encomenda para a RAF num total de 20, voou pela primeira vez em 29 de Janeiro de 1955. A primeira aeronave operacional foi entregue ao 47° Esquadrão de Junho de 1963. Eles foram levados até outubro de 1967, quando o esquadrão se separou. 30° Esquadrão receberam seus Beverleys em abril de 1957 na RAF Dishforth posteriormente implantando a RAF Eastleigh, Quênia e RAF Muharraq, Bahrain, onde se desfez em setembro de 1967.
Os Beverleys que serviram por mais tempo estavam no Extremo Oriente; 34° Esquadrão receberam suas aeronaves na RAF Seletar em outubro de 1960 e continuou voando até o final de 1967. Durante esse tempo o 34° Esquadrão realizou um trabalho de ajuda de uma inundação no sul do Vietnã.
Inicialmente, as aeronaves eram geralmente pratas, mas mais tarde, aqueles operados por esquadrões no Oriente Médio foram pintados de camuflado areia.
Sobreviventes
Há apenas um sobrevivente do Beverley, o XB259 e está em exposição no Forte Paull, a leste de Hull na Inglaterra. Dois outros aviões estavam em exposição pública mas já foram desmontados.
Nove aviões foram perdidos e serviço com a RAF. Dois destes foram devidos a danos explosivos (1 de minas terrestres e 1 de bomba).
O acidente mais conhecido com os Beverleys foi o de Sutton em 5 de março de 1957, um Berverley caiu em uma vila devido a falha de dois dos seus quatro motores, causando a morte de 18 pessoas (sendo 2 no solo), sobrevivendo apenas 4 pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Rastreamento da estação espacial