Vôo Livre Brasil Mais de 30 anos de Historia

O Vôo Livre vem sendo praticado nos céus do Brasil desde a década de 70. Tudo começou quando em julho de 1974 um piloto francês, Stephan Segonzac, fez um vôo do alto do Corcovado no Rio de Janeiro. A façanha despertou a atenção de muitas pessoas e logo surgiram os primeiros interessados em aprender a arte de voar. Dois dos mais entusiasmados procuraram o piloto francês e decidiram começar a voar. Na busca de um morro ideal para iniciar as aulas, chegaram até um amigo Luiz Cláudio, que tinha um terreno de acordo com as necessidades para o curso.

Algum tempo depois, os dois desistiram do curso e após dois meses de um conturbado curso, o amigo, Luiz Cláudio Mattos, que havia entrado por acaso na história, veio a se tornar o primeiro piloto brasileiro de asa delta.

Seu primeiro vôo foi realizado no dia 7 de Setembro de 1974 do topo da Pedra da Agulhinha em São Conrado, no Rio de Janeiro. Algumas semanas depois, devido à dificuldade de acesso à Pedra da Agulhinha, Luis Cláudio abriu uma outra rampa, no sopé da Pedra Bonita.

Em novembro de 1975, o número de pilotos já era mais de uma dezena e foi realizado o 1° Campeonato Brasileiro de Vôo Livre em São Conrado. A competição contou com provas de permanência e precisão. O primeiro campeão brasileiro de vôo livre foi André Sansoldo que, juntamente com Irencyr Beltrão, vice-campeão, integraram a equipe brasileira que participou do 1° Campeonato Mundial de Vôo Livre, realizado em 1976, em Kossen, na Áustria.

Com o crescente número de adeptos veio a necessidade de se abrir uma nova rampa. Desta vez a rampa foi construída no final da estrada aberta pelo arquiteto Sérgio Bernardes no morro que dá acesso à Pedra Bonita. A intenção do arquiteto com esta estrada, era de construir uma casa no meio da floresta, mas para a sorte dos voadores, a obra fora embargada pelas autoridades ambientais.

Em Dezembro de 75, foi fundada a Associação Brasileira de Vôo Livre (ABVL) com o intuito inicial de controlar o acesso à rampa da Pedra Bonita, que acabou sendo definitivamente cedida aos pilotos e utilizada até hoje. Em 2001, a rampa foi reformada e recebeu o nome de rampa Maurício Klabin.

O Parapente surgiu no Brasil em meados da década de 80. As primeiras experiências foram realizadas por pára-quedistas que adaptaram seus pára-quedas para decolar de encostas. Alguns destes vôos foram realizados em 1986, a partir da Pedra da Gávea e com pouso na Praia do Pepino, em São Conrado.

Em 1988, o suiço François Knebel trouxe o primeiro parapente para o Brasil e ensinou alguns alpinistas, pára-quedistas e voadores de asa que começaram a voar da rampa da Pedra Bonita. Os primeiros pilotos brasileiros de parapente foram Ruy Marra, Bruno Menescal, Daniel Schmidt, Luiz Otávio Menezes Filho, Patrick Bredel, Antônio Lage e Andréa Lima Duarte.

O 1° Campeonato Brasileiro de Parapente foi realizado em 1989 na rampa da Serra do Vulcão, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro e teve como campeão o piloto Bruno Menescal. A primeira participação de equipe brasileira de parapente em campeonatos mundiais aconteceu no mesmo ano, na Áustria.

A prática do vôo livre evoluiu bastante no Brasil desde que os primeiros aventureiros iniciaram seus vôos nos céus de São Conrado, em 1974. Atualmente, a ABVL possui afiliadas em 11 estados e o vôo livre é praticado por mais de 2.500 pilotos que se utilizam de um grande número de rampas espalhadas por todo o Brasil.

O clima tropical e o relevo variado do imenso território brasileiro aliado ao espírito aventureiro do voador permitiu que diversos locais fantásticos para o vôo livre fossem explorados. São Conrado, os berços do vôo livre brasileiro, ainda atrai muitos pela oportunidade de se voar sobre as matas, montanhas e praias do Rio de Janeiro. Governador Valadares, em Minas Gerais, é mundialmente conhecida por suas térmicas abundantes, vôo em todas as direções, facilidade de resgate e receptividade de sua gente aos voadores. Quixadá, no Ceará, se afirma como um dos melhores locais do mundo para a quebra de recordes de distância livre. No Planalto Central está Brasília, a Capital Federal, que com seu clima seco gera térmicas fortes e grandes “cloud-streets”. Brasília irá sediar o Mundial de Asa Delta em 2003.



O Vôo Livre brasileiro se aproveitou da evolução de seus pilotos e das enormes possibilidades de vôo existentes no país para ocupar uma posição de destaque no cenário mundial. Na modalidade de asa delta, o Brasil já conquistou um campeonato mundial individual, com Pepê Lopes, em 1982, no Japão; um vice-campeonato mundial individual e por equipes, em 1991, no Brasil. Em 1999, a equipe brasileira conquistou o campeonato mundial por equipes, na Itália e, em 2001, na Espanha, sagrou-se novamente vice-campeão mundial. Na modalidade de parapente, o Brasil já conta com pilotos com participação destacada na Copa do Mundo de Parapente e nos campeonatos mundiais.

Fonte:
Abvl-Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Rastreamento da estação espacial